X

11/08/2020

Sinqia (SQIA3) divulga os resultados do 2T20

Anunciamos os resultados consolidados do segundo trimestre de 2020 (“2T20”).

 

Destaques financeiros:

Receita líquida. Recorde de R$ 49,6 milhões (+17,5% vs. 2T19), aumento decorrente do crescimento orgânico (+15,1% vs. 2T19) e inorgânico (+2,4% vs. 2T19);

Receita líquida de Software. Registrou R$ 34,5 milhões (+18,0% vs. 2T19), aumento decorrente do crescimento orgânico (+14,5% vs. 2T19) e inorgânico (+3,5% vs. 2T19);

Receita recorrente. Recorde de R$ 43,5 milhões (+23,2% vs. 2T19), representando 87,8% da receita líquida total – percentual mais alto na história da Sinqia;

Lucro bruto. Registrou R$ 16,8 milhões (+35,3% vs. 2T19), aumento decorrente do crescimento das receitas e melhoria da lucratividade (+4,4 p.p. vs. 2T19);

EBITDA ajustado. Recorde de R$ 7,4 milhões (+44,8% vs. 2T19), combinação de maior receita, aumento na margem bruta e queda nas despesas gerais e administrativas como proporção da receita;

Lucro caixa ajustado. Alcançou R$ 2,7 milhões ante R$ 8 mil no mesmo trimestre do ano anterior.

 

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO

Sempre acreditamos na resiliência e na capacidade de adaptação da Sinqia. No final do primeiro trimestre, recebemos com cautela a notícia de que o novo coronavírus (COVID-19) havia chegado ao Brasil: era o início de uma crise sem precedentes. Nos adaptamos rapidamente, e hoje compartilhamos com satisfação uma excelente notícia: a Sinqia está superando esse desafio!

Iniciamos ajudando nossos colaboradores a cuidarem de sua saúde e se adaptarem ao trabalho remoto: ampliamos nosso programa “Move to Flex” e praticamente todos passaram a trabalhar de casa. Fornecemos a infraestrutura de tecnologia e implantamos rituais de gestão compatíveis com a nova realidade. O resultado não poderia ter sido melhor: sustentamos elevados níveis de produtividade, observamos aumento dos níveis de satisfação e redução do turnover. Mantivemos o compromisso de enfrentar a crise sem redução de salários e postos.

Continuamos ajudando nossos clientes a se adaptarem à nova realidade. No negócio de Software, aproveitamos o momento para avançar substancialmente nas entregas, reduzindo o backlog de atendimento, implantação e desenvolvimento. No negócio de Serviços, lançamos novas ofertas, para apoiar a transformação digital dos nossos clientes, com forte tração comercial. Esse processo de transformação digital em pouco tempo segregará vencedores e perdedores nas verticais financeiras, e a Sinqia estará ao lado de seus clientes para que eles sejam os vencedores.

Mantivemos os investimentos em P&D elevados, encarando a crise como um período para nos diferenciar dos concorrentes com limitações financeiras. E avançamos no desenvolvimento de produtos para pagamentos instantâneos, o PIX: o lançamento do SQ PSI e do SQ PSTI está programado. Enxergamos duas oportunidades: a curto prazo, a venda dessas suítes em nossa carteira de clientes; e, principalmente, a médio prazo, a venda de outras suítes já existentes, como o SQ Conta Corrente, o SQ Crédito e o SQ Investimentos, para as instituições que estão ingressando no setor financeiro pela vertical de pagamentos, e  provavelmente ampliarão a oferta de produtos, demandando novos softwares.

Ampliamos os investimentos em inovação, encarando a crise como um momento para vislumbrar possibilidades não óbvias. No Torq, lançamos o Plugi, a primeira plataforma de negociação de cotas canceladas de consórcios no Brasil. O sistema de consórcios historicamente convive com um desafio: as cotas canceladas representam cerca de R$ 50 bilhões por ano, mais de 50% das cotas totais. O Plugi conecta administradoras de consórcios interessadas em sanear seus grupos com gestores de recursos interessados em adquirir essas cotas com desconto. Um modelo imbatível: ganham os nossos clientes, e ganham os clientes deles. A plataforma em cloud será conectada via APIs e monetizada por meio de um take rate sobre o valor transacionado. Os investimentos em PD&I foram de R$ 1,5 milhão no trimestre, crescimento de 25,9% sobre o mesmo trimestre do ano anterior.

Iniciamos nossos investimentos no modelo de inovação aberta: em março, havíamos anunciado nossa entrada na Darwin Startups, uma aceleradora focada em descobrir e apoiar startups nacionais, com foco em oportunidades que compõem o negócio da Sinqia, como fintechs e insurtechs. E no 2T19, participamos do Batch #8, uma rodada em que diversas oportunidades interessantes foram selecionadas, algumas com enorme sinergia potencial com a Sinqia.

E ampliamos o escopo dos nossos investimentos em fusões e aquisições (M&A). Amadurecemos as oportunidades na esteira de “empresas maduras”, com objetivo de ampliar o portfólio de produtos e a carteira de clientes, visando teses de bancos, financeiras, fundos, previdência, consórcios e seguros. Construímos uma esteira de “empresas emergentes”, com objetivo de acessar novas tecnologias, visando teses de bank-as-a-service (BaaS), open-banking, white-label-banking, inteligência artificial, plataformas de integração, e transformação digital. E construímos uma iniciativa de Corporate Venture Capital (CVC), por meio da qual buscaremos oportunidades de co-investimento em negócios que se conectem com o futuro dos serviços financeiros.

Ainda com relação aos investimentos em M&A, temos outra novidade. Em agosto, assinamos a aquisição da Itaú Soluções Previdenciárias (“ISP”), nossa primeira compra com recursos captados no follow on: uma aquisição perfeitamente alinhada aos objetivos estratégicos e aos parâmetros financeiros do nosso plano de consolidação. A transação soma R$ 82,0 milhões, sendo 41% pagos à vista no fechamento e 59% pagos a prazo, ou seja, contribui significativamente para o crescimento da Sinqia, e simultaneamente preserva nosso caixa para outras oportunidades.

No 2T20, nossa carteira de contratos continuou se expandindo. Ela somou R$ 150,4 milhões, crescimento de 2,4% sobre o 1T20 e de 9,5% sobre o 2T19. A continuidade do crescimento durante a crise foi possível graças a uma combinação de (i) sólido desempenho comercial, porque o freezing de março-abril não se prolongou; e (ii) baixo churn, devido a um alinhamento perfeito entre qualidade da carteira de clientes (instituições financeiras), stickiness do portfólio de produtos (softwares e serviços de missão-crítica), e solidez do modelo de negócio (subscrição).

Encerramos o trimestre como o melhor em 24 anos de história. No 2T20, continuamos adicionando novos produtos ao portfólio e novos clientes à carteira; mantivemos o churn sob controle; entregamos novos recordes, com receita líquida de R$ 49,6 milhões, crescimento de 17,5% sobre o 2T19; receita recorrente de R$ 43,5 milhões, crescimento de 23,2% no mesmo período, e com percentual de recorrência saltando para 87,8%, maior da história.

Mantivemos nossa disciplina na gestão de gastos. Os custos foram de R$ 32,8 milhões, aumento de 10,1% sobre o 2T19, e o lucro bruto atingiu R$ 16,8 milhões, crescimento de 35,3% sobre o 2T19. As despesas gerais e administrativas foram de R$ 9,4 milhões, aumento de 4,4% sobre o 2T19, e representaram apenas 19,1% da receita líquida, menor percentual da história. Essa redução foi proporcionada pela queda no turnover, renegociação de contratos com fornecedores, e suspensões temporárias das despesas com eventos e viagens, entre outros. Algumas dessas suspensões temporárias serão convertidas em ganhos permanentes de agora em diante.

Isso tudo possibilitou um novo recorde de EBITDA ajustado de R$ 7,4 milhões, crescimento de 44,8% sobre o 2T19, com margem EBITDA ajustada de 14,9%, aumento de 2,8 pontos percentuais. Como antecipamos no trimestre passado, o início de 2020 foi o ponto de inflexão, e esperamos que a partir do 2T20 a entrada de novas receitas de subscrição e a contenção/redução dos custos com implantação se reflita em ganhos progressivos de lucratividade.

Também é importante mencionar que nosso balanço continua sólido: finalizamos com caixa bruto de R$ 336,3 milhões (vs. R$ 340,9 milhões no 1T20), sustentando o mesmo patamar depois de uma redução no endividamento de R$ 18,7 milhões no trimestre. Isso porque, além dos bons resultados, não sofremos impactos por inadimplência: o contas a receber reduziu em R$ 6,5 milhões no trimestre.

Sem menosprezar os desafios contínuos que a pandemia representa para empresas e famílias, encerramos esse trimestre satisfeitos com os resultados alcançados. Nesse cenário adverso, nosso negócio se manteve praticamente inabalado e pudemos confirmar que a Sinqia é uma empresa única, que combina crescimento e resiliência. Superamos o desafio, e estamos preparados para entregar resultados crescentes.

 

ACESSE OS RESULTADOS

Confira outras nóticias da Sinqia RI – Todas as notícias

Busca

Notícias

Aquisição da Softpar
Liquidação das Debêntures
Pagamento de dividendos
Aquisição da ADSPrev
Alteração do ticker e nome de pregão
Mudança de Sede
Fechamento da Aquisição da Atena