X

10/03/2021

Sinqia (SQIA3) divulga os resultados do 4T20 e de 2020

Anunciamos os resultados consolidados do quarto trimestre de 2020 (“4T20”) e do exercício findo em 31/12/2020 (“2020”).

Destaques financeiros:

Carteira de contratos. Recorde de R$ 175,2 milhões no trimestre (+18,9% vs. 4T19), refletindo reajustes contratuais, performance comercial favorável, e consolidação da Tree e da Fromtis;

Receita líquida. Recordes de R$ 59,0 milhões no trimestre (+22,8% vs. 4T19) e R$ 210,0 milhões no ano (+19,9% vs. 2019), com crescimento expressivo nos dois negócios;

Receita líquida de Software. Recordes de R$ 40,8 milhões no trimestre (+21,6% vs. 4T19, +14,3% de orgânico) e R$ 145,9 milhões no ano (+20,6% vs. 2019, +18,5% de orgânico), beneficiados pela conclusão de implantações;

Receita líquida de Serviços. Recordes de R$ 18,2 milhões no trimestre (+25,5% vs. 4T19) e R$ 64,1 milhões no ano (+18,4% vs. 2019), impulsionados pela demanda por transformação digital;

Receita recorrente. Recordes de R$ 53,1 milhões no trimestre (+34,0% vs. 4T19), representando 90,0% da receita líquida – a maior recorrência trimestral desde o IPO, e R$ 184,7 milhões no ano (+27,1% vs. 2019), representando 88,0% da receita líquida;

EBITDA ajustado. Recordes de R$ 10,6 milhões no trimestre (+65,8% vs. 4T19), com 18,0% de margem – a maior lucratividade trimestral desde o IPO, e R$ 30,2 milhões no ano (+43,0% vs. 2019), com 14,4% de margem.

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO:

Hoje, reportamos os resultados de um ano com importantes realizações. Em 2020, divulgamos diversas novidades, como o ingresso na carteira de um novo índice (SMLL – B3), a realização de 3 aquisições (ISP, Tree e Fromtis) e o lançamento de um programa de corporate venture capital. Encerramos com excelentes resultados, em um trimestre de recordes em receita (R$ 59,0 milhões), recorrência (90,0%) e margem EBITDA ajustada (18,0%). Esses são nossos melhores resultados desde o IPO. Nesta mensagem da administração, vamos revisitar as novidades e explicar por que estamos entusiasmados com 2021.

Depois de uma oferta de ações há 18 meses, observamos um aumento significativo do volume negociado das nossas ações (+231%). Em maio/20, elas passaram a integrar a carteira do Índice Small Cap da B3. Isso ajudou a aumentar ainda mais a visibilidade e facilitou a entrada de novos investidores institucionais e individuais, que somavam 111,5 mil no final do ano.

Seguindo um primeiro semestre de cautela, confirmamos que o contexto econômico não havia prejudicado nossos alvos e retomamos o plano de consolidação. Realizamos 3 aquisições que totalizaram investimentos de R$ 127,5 milhões (incluindo earnouts), representando 35,2% dos recursos levantados na oferta de ações, de acordo com o cronograma estimado.

Em agosto adquirimos a ISP, fornecedora softwares e serviços para previdência fechada. Essa foi nossa 6ª aquisição na vertical e solidificou nossa posição de liderança. Em outubro compramos a Tree, fornecedora de softwares para câmbio. E em dezembro adquirimos a Fromtis, fornecedora de softwares para FIDC.

Essas 3 aquisições passaram a ser consolidadas, respectivamente, a partir de fev/21, out/20 e dez/20. Somadas, elas registraram receita líquida de R$ 58,5 milhões de janeiro a dezembro 2020, mas apenas R$ 2,5 milhões, provenientes da Tree e da Fromtis, contribuíram para os nossos números em 2020. A contribuição integral será perceptível em 2021.

Em janeiro lançamos o Torq Ventures, resultado de uma evolução importante na estratégia de inovação aberta ao longo de todo o ano anterior. Nosso programa de corporate venture capital realizará investimentos em start-ups que detenham tecnologias inovadoras e desenvolvam teses de negócio conectadas com o futuro dos serviços financeiros.

Encerramos 2020 com excelentes resultados em diversos indicadores: receita líquida de R$ 210,0 milhões (+19,9%), lucro bruto de R$ 71,2 milhões (+23,7%), despesa geral e administrativa de R$ 41,5 milhões (-4,2%), EBITDA ajustado de R$ 30,2 milhões (+43,0%) e lucro caixa ajustado de R$ 12,2 milhões (+87,7%). Nos dois negócios – Software e Serviços – registramos avanços.

Em Software, a carteira de contratos recorrentes, principal indicador de performance prospectiva, cresceu e alcançou o novo recorde de R$ 175,2 milhões (+18,9%). A receita líquida foi de R$ 145,9 milhões (+20,6%) com expressivo aumento de Subscrição (+24,4%), devido à conclusão de implantações ao longo do ano. E a margem bruta foi de 34,1% (+0,6 p.p.), mesmo com os maiores custos com P&D.

Em Serviços, o mercado passou a enxergar a transformação digital como uma demanda imediata e estávamos prontos para atendê-la. A receita líquida foi de R$ 64,1 milhões (+18,4%) com significativo aumento de Outsourcing (+33,0%), devido a adição de clientes e expansão do ticket. Continuamos notando uma demanda significativa nos últimos meses. E a margem bruta foi de 22,9% (+1,9 p.p.).

Reduzimos a despesa para R$ 41,5 milhões (-4,2%). Mais importante que o eficiente controle é a mudança na composição: estamos progressivamente trocando gastos gerais e administrativos por gastos comerciais e de marketing, visando facilitar novas vendas.

E finalizamos 2020 com uma posição financeira confortável, eram R$ 321,1 milhões no caixa bruto. O closing da ISP, em janeiro, provocou uma redução de R$ 33,6 milhões nesse valor, mas mantemos recursos suficientes para intensificar o plano de consolidação no início do ano. Os recursos estão disponíveis e o pipeline de M&A tem quantidade e qualidade.

O setor financeiro está passando por um processo de disrupção tecnológica impulsionado pela mudança no comportamento do consumidor e no posicionamento do regulador. Estão surgindo novas demandas, estão se abrindo novas avenidas de crescimento. As estratégias de consolidação e inovação aberta são o nosso combustível. Por isso, estamos entusiasmados com 2021.

ACESSE OS RESULTADOS

Confira outras nóticias da Sinqia RI – Todas as notícias

Busca

Notícias

Aquisição da Softpar
Liquidação das Debêntures
Pagamento de dividendos
Aquisição da ADSPrev
Alteração do ticker e nome de pregão
Mudança de Sede
Fechamento da Aquisição da Atena